Doc, 5 sentidos à mesa

Prepare-se para uma experiência fenomenal. Fiquei pensando aqui em como descrever esse restaurante pra vocês. E só me vêm à cabeça analogias à alguma obra de arte. Sério, o lugar é tão incrível que chega a ser difícil descrever num post tudo o que experimentamos por lá. Quando você for ao DOC, do Chef Rui Paula, você vai me entender … rsrs.

Não dá pra dizer que você simplesmente almoçou ou jantou. O correto seria dizer: vivi uma experiência gastronômica. Ponto!

Dia6_DOC_Restaurante-4
Foto: Alexandre Suplicy

O Chef Rui Paula

Vamos começar apresentando brevemente o criador do DOC. Rui Paula nasceu no Porto, já comandou a cozinha de um hotel de luxo português, já teve restaurante aqui no Brasil e seu restaurante Casa de Chá da Boa Nova, na região de Matosinhos, também no Norte do País, ganhou uma estrela Michelin, em 2017. Rui Paula é super premiado e reconhecido. É jurado do MasterChef Portugal desde 2014.

Dia6_DOC_Restaurante-1
DOC, estrutura suspensa sobre o Rio Douro. Foto: Alexandre Suplicy

O lugar

O DOC fica num cenário arrebatador, entre a Régua e o Pinhão. O restaurante é todo envidraçado para que não se desperdice a vista encantadora para o Douro. Um deck suspenso sobre o rio e arquitetura moderna. Características que combinam bem com as técnicas utilizadas na cozinha de alto nível de Rui Paula.

Dia6_DOC_Restaurante-25
Um pouco da vista que se tem no local. Foto: Alexandre Suplicy

O restaurante é recomendado pelo Guia Michelin e dá preferência aos produtos genuínos do Norte de Portugal. E essa predileção se aplica também aos vinhos servidos na casa.

Rui Paula se inspira naquelas receitas que evocam alguma memória afetiva, que tem raízes emocionais e culturais. Mas ele as eleva a um outro nível.

Dia6_DOC_Restaurante-2
O restaurante moderno e todo envidraçado. Foto: Alexandre Suplicy
premios1
O corredor que leva aos toaletes é repleto de quadros com os prêmios de Rui Paula e seus restaurantes.

A gastronomia de alto nível

Agora vamos ao que interessa: a comida!

Antes mesmo das entradas foi servido um pão-de-queijo recheado com carne de porco. Supreendente combinação para algo que nos é tão familiar! Teve também um salmão com nata azeda.

Na sequência, a apresentação e o sabor das entradas já deu uma ideia do que viria pela frente. Asas de galinha d’Angola, vieiras e tupinambo, cogumelos e espuma de estragão. O tupinambo é um tubérculo como a batata-doce e ele é defumado antes de virar um purê. Quem iria dizer que asas de galinha e vieiras combinam perfeitamente?

Dia6_DOC_Restaurante-8
A entrada de asas de galinha d’angola, vieira, tupinambo e cogumelos com espuma de estragão. Foto: Alexandre Suplicy

Os pratos principais também estavam divinos. Arroz Carolino com moluscos, robalo, lagostim e caviar de coentro, que é feito com técnicas da culinária molecular. Como o Alê não come peixe, mas come frutos do mar, a mulher do Rui Paula, gentilmente pediu para ele um prato com polvo! Olha que lindo!

Dia6_DOC_Restaurante-13
O arroz carolino. Divino! Foto: Alexandre Suplicy
Dia6_DOC_Restaurante-12
O prato com polvo que o Ale experimentou. Foto: Alexandre Suplicy

Também trouxeram à mesa lombinho de vitela com brás de legumes, que leva no preparo morcela, ovo e azeitonas. Acompanha um purê de açafrão e cebola.

Dia6_DOC_Restaurante-19
Lombinho de vitela e brás de legumes. Foto: Alexandre Suplicy

Comida com sabor e som!

Antes da sobremesa, tivemos uma experiência sensorial indescritível, graças à gastronomia molecular. Chegou para cada um nós essa simples colher com um docinho redondo. Com ele a recomendação: coloquem na boca e não mastiguem. Enquanto o doce se dissolvia, eu resolvi fechar os olhos, como um complemento obediente à essas “regras”. Aquela bolinha que parecia inofensiva começou a explodir. Foi como se de todo meu corpo eu sentisse, naqueles breves segundo, apenas a minha boca! Que sensação divertida. Todos pareciam crianças descobrindo algo pela primeira vez. O mais louco é que dentro da nossa cabeça conseguíamos ouvir barulho de chuva!!! Com isso, acho que pudemos entender um pouco do que é resgatar memórias afetivas através da boa comida.

Dia6_DOC_Restaurante-22
O doce com barulho de chuva! Foto: Alexandre Suplicy

A sobremesa mais parecia uma obra de arte abstrata. Torta de chocolate e café, crocante de brownie congelado de café, sorvete de café, mousse de chocolate, merengues e avelãs caramelizada. Ah… a torta vem com folhas de ouro!!

sobremesa
Sobremesa ou obra de arte?

Harmonização 

O Dois Por Aí visitou o DOC a convite da Azul Linhas Aéreas e do escritório de Turismo do Norte de Portugal. Aproveito pra deixar aqui pra vocês fotos dos vinhos que tomamos ao longo desse almoço incrível!

Dia6_DOC_Restaurante-21

DOC – Endereço: Cais da Folgosa, Estrada Nacional 222, 5110-214 Folgosa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s